Kássio amparou-se na Constituição e na ciência ao liberar celebrações religiosas, sustenta Augusto Nunes (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

O jornalista e comentarista político, Augusto Nunes, durante o “Jornal da Record” desta segunda-feira (5), lembrou que a autorização para a realização de celebrações religiosas está implícita no direito à própria liberdade religiosa, um preceito constitucional inviolável e criticou prefeitos e governadores por “miopia seletiva”, ao proibirem o exercício da fé, mas permitirem aglomerações nas ruas e transporte público.

“O ministro Kássio Nunes Marques amparou-se na Constituição e na ciência. O juiz do Supremo Tribunal Federal lembrou que a liberdade religiosa é um preceito constitucional inviolável e ressalvou que, em obediência às recomendações dos cientistas envolvidas no combate à Covid-19, o espaço ocupado pelos fiéis deve limitar-se a 25% da capacidade total”, explicou.
“Até bebês de colo sabem que o vírus não é transmitido entre pessoas com máscara e a dois metros de distância umas das outras”, ironizou.

Confira o vídeo:

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário,

cartão de crédito ou PIX.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
Ler comentários e comentar