Caso Wesley: “O coronel da PM da Bahia não está a serviço do estado, e sim de uma organização criminosa chamada Partido dos Trabalhadores”, afirma deputado (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

O Manhã de Notícias de quinta-feira (08) recebeu o deputado federal pelo estado de São Paulo, Coronel Tadeu, que fez questão de falar sobre os autoritarismos por parte de governadores e prefeitos e a situação no estado da Bahia, que se agravou a ponto de um soldado da Polícia Militar, Wesley Soares Góes, se revoltar e acabar sendo morto por seus colegas no final de março.

Indignado, o deputado criticou duramente o coronel da PM da Bahia que deu entrevista sobre o caso.

“Um verdadeiro crápula esse coronel! Ele não tem mais o respeito da tropa. E, se foi ele que deu a ordem para fazer isso, é cadeia para esse sujeito. O coronel da PM da Bahia não está a serviço do estado, e sim de uma organização criminosa chamada Partido dos Trabalhadores”, ressaltou Coronel Tadeu.

O deputado também falou sobre a situação em São Paulo e as pretensões políticas do governador João Doria.

“Eu tenho até dúvida se a esposa dele, a Bia Doria, vai votar nele”, ironizou Coronel Tadeu, lembrando o episódio de um vídeo em que supostamente Doria estaria na cama com outras mulheres e, posteriormente, o governador, na época candidato, veio a público informar que seria uma montagem.

O parlamentar abordou ainda outros temas, como o trabalho excepcional que o presidente Bolsonaro e seus ministros estão realizando – o leilão histórico de 22 aeroportos rendeu aos cofres públicos mais de R$ 3 bilhões.

Confira:

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário, cartão de crédito ou PIX.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
Ler comentários e comentar