Gestão Doria muda versão e, agora, nega que deputados tenham invadido hospital estadual

Ler na área do assinante

Após a polêmica entrada dos deputados estaduais Arthur do Val (Patriota), Ricardo Mellão (Novo) e do deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP) no Hospital Geral de Guarulhos, na Grande São Paulo, na sexta-feira (16); quando tentavam acessar uma área restrita de atendimento a pacientes com a Covid-19; o governo de São Paulo retrocedeu na acusação que tinha feito anteriormente, mudou a versão, negou a invasão e disse que tudo não passou de um “mal-entendido”.

O Governo Doria publicou um comunicado explicando o episódio, no perfil oficial da Secretaria Estadual de Saúde, no Twitter, no dia seguinte ao evento.

“Após análise das imagens do ‘mal-entendido’, notou-se que não houve tentativa de acesso ao espaço da UTI do Hospital. A Secretaria reforça ainda que a visita de parlamentares em meio a uma pandemia não é recomendável”, disse o documento.

O comunicado na internet contrasta, claramente, com a postura que a Gestão Estadual tomou, quando soube da visita “surpresa” dos deputados ao centro de saúde. Na ocasião, o Governo Doria qualificou o ocorrido como uma conduta que “destoa do que é esperado de autoridades públicas, que deveriam ser exemplo e zelar pela segurança da população, principalmente em tempos de crise sanitária global”.

O órgão chegou a afirmar que “eles tentaram acessar à força a área restrita de atendimento aos casos graves de Covid-19, promovendo aglomeração e risco à equipe e aos pacientes da ala”. Na sexta-feira, o Hospital Geral de Guarulhos estava com 60 pacientes internados com quadros graves da covid-19, sendo 27 em enfermaria e 33 em UTI.

Após a publicação do comunicado, o deputado Arthur do Val, conhecido como “Mamãe Falei”, escreveu: “Obrigado pela honestidade”.

No dia anterior, após a visita, Do Val publicou vídeo nas redes sociais explicando que a fiscalização havia sido executada “com o máximo de respeito e que em nenhum momento usou de grosseria ou de violência”. A escolha pelo Hospital Geral de Guarulhos aconteceu porque, segundo o parlamentar, foi a unidade para a qual ele enviou emendas.

“Em nenhum momento, tive a intenção de invadir a ala de Covid-19 e nem foi o objetivo da fiscalização no Hospital Geral de Guarulhos. Minha agenda era voltada ao acompanhamento de projetos importantes no combate ao Covid-19 e segui, junto a outros parlamentares, para uma visita de fiscalização acompanhada pelos profissionais locais. A visita se restringiu a conferir o prontuário de presença dos médicos, o atendimento à população e os itens do almoxarifado. Tenho como rotina de trabalho como deputado fiscalizar equipamentos públicos, como já fiz em diversas ocasiões. Entendo que ‘visitas-surpresa’ geram desconforto. Peço desculpas pelo ‘mal-entendido’. Faço um elogio ao trabalho dos profissionais do hospital e lamento a forma como o episódio foi tratado pela Secretaria da Saúde”, disse, em nota, Ricardo Mellão.

No Twitter, Kim Kataguiri também justificou e alegou ser “bizarro que, no meio de uma pandemia, a pasta dedique seu tempo para espalhar mentiras na internet”.

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário,

cartão de crédito ou PIX.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

Fonte: Estadão

da Redação
Ler comentários e comentar