Denúncias contra Pimentel e Joesley são rejeitadas pela Justiça Federal de Minas

Ler na área do assinante

A denúncia que o Ministério Público Federal (MPF) ofereceu contra o ex-governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), o empresário Joesley Batista e um escritório de advocacia de Belo Horizonte foi rejeitada pela 11ª Vara da Justiça Federal, em MG. As investigações do MP apontaram os crimes de lavagem de dinheiro e corrupção contra os acusados.

A decisão do juiz federal Jorge Gustavo Serra de Macêdo Costa foi publicada, na quinta-feira (22). Segundo a denúncia do MPF, em 2013, quando Pimentel era ministro do Desenvolvimento, recebeu de uma das empresas de Joesley Batista R$5,2 milhões para que influenciasse em deliberação junto à então presidente Dilma Rousseff (PT).

Os pagamentos teriam sido efetuados por meio de contratos falsos da empresa com um escritório de advocacia, que foi o responsável por passar os valores ao petista e a pessoas ligadas a ele, entre junho de 2013 e fevereiro de 2015. O repasse mensal de R$ 300 mil teria sido acordado durante um jantar na casa de Joesley, em junho de 2013 e os pagamentos iniciaram apenas 17 dias depois.

O magistrado rejeitou os argumentos apresentados pelo MPF e determinou o arquivamento do processo.

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário,

cartão de crédito ou PIX.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

Fonte: R7

da Redação
Ler comentários e comentar