Ministro da Cultura é contra CPI e não pretende pedir a desocupação de prédios públicos. Qual é a dele?

Toda e qualquer atitude com o objetivo de apurar a aplicação do dinheiro público merece o apoio das autoridades sérias e comprometidas com a sociedade.


É notório que as verbas da Lei Rouanet foram utilizadas indevidamente ou mal aplicadas.

Diante desse quadro, uma gestão que pretende ser séria tem que apurar o que efetivamente ocorreu e, se for o caso, punir quem tiver que punir ou processar quem agiu em desacordo com a legalidade.

Marcelo Calero, que graças aos protestos dos artistas, de uma hora pra outra virou ministro, já se posicionou contra a CPI da Lei Rouanet.

Por outro lado, há ocupações em prédios ligados ao MinC por todo o país. Em alguns locais, indícios de consumo de drogas, menores nas ocupações e depredação do patrimônio público.

Ora, o poder público tem que se impor, não pode permitir a continuidade dessa bagunça.

Não é assim que pensa o ilustre ministro. Em entrevista concedida ao jornal Folha de São Paulo (veja aqui) ele diz que está ‘trabalhando na criação de uma estratégia de negociação com os líderes das ocupações’.

A quem ele quer agradar? Do lado de quem ele está? Qual é a desse ministro?

Amanda Acosta

redacao@jornaldacidadeonline.com.br

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Cultura