Eu confesso. Vi o vídeo do Nando Moura queimando os livros do Olavo de Carvalho

Ler na área do assinante

Ainda estou perturbado com as cenas. O sujeito acusa o escritor de ter desenvolvido uma mentalidade revolucionária e de ter virado um reacionário e, em troca, o que faz? Queima seus livros, atitude eminentemente totalitária e que remonta aos regimes comunistas e socialistas mais duros.

Depois, antes de continuar a queima, lê pequenos trechos das obras para tentar mostrar incoerência do escritor, descontextualizando os escritos e usando-os a esmo, como se fossem frases prontas, aproveitando para ofender inúmeras pessoas, em uma desonestidade intelectual que eu, do alto de tudo que já presenciei, jamais tinha visto.

Finalmente, diz que “ele [Nando Moura] e Felipe Moura Brasil tiraram Olavo de Carvalho do ostracismo”, em um exercício de arrogância presunçosa que beira a doença mental.

Em certa passagem do vídeo, Nando Moura criticou a própria filosofia desenvolvida por Olavo de Carvalho, enquanto queimava “O Jardim das Aflições”, certamente um dos melhores livros já escritos em toda a história da humanidade, cuja grandeza o youtuber jamais conseguiria reconhecer.

E mais ainda: para demonstrar um ar blasé de superioridade sobre os reles mortais, Nando Moura ainda ficou repetindo todo o tempo a conhecida frase sobre a pessoa olhar para o abismo até que o abismo olhe de volta para ela. Mas não percebeu o principal: o autor dessa frase, o filósofo Nietzsche, era um relativista que idealizou um “novo homem”, em um mundo sem Deus.

Ora, considerando que o próprio Nando Moura no vídeo em questão estava a julgar ideologicamente a obra de um autor (a simples leitura dos trechos por ele pinçados deixa claro que o problema dele não é com o conteúdo dos livros, mas sim com quem os escreveu, Olavo de Carvalho), como pode ter citado algo de um autor como Nietzsche?

Não é para julgar o autor de uma obra, ao invés da própria obra, como ele “ensina” na gravação que fez? Então ele, por não concordar com Olavo de Carvalho, acha que os livros dele têm que ser queimados, mas o que foi dito por Nietzsche tem que ser repetido?

Como assim?

É muita confusão mental... Ele deve achar que a citação ao aforismo do filósofo alemão é demonstração de cultura, de erudição. Talvez Nando Moura já esteja mesmo no abismo e nem enxerga, usando contra ele a frase em questão.

Mas a ignorância demonstrada pelo sujeito não me assusta. Para mim, a única coisa que ele demonstrou, no vídeo em questão, é que sabe mesmo “queimar”. Ele “queima” com gosto, com técnica. Talvez em um vídeo futuro ele apareça queimando roscas, vai saber...

Para mim, o assustador mesmo é perceber que um sujeito desse tem exatos 3,18 milhões de inscritos no seu canal, e que (ainda) influencia um sem-número de pessoas, que só conseguem formar a própria opinião depois de ouvirem as suas “análises”.

Isso é que me assusta!

Pobre do Brasil, que tem um indivíduo pobre de espírito como esse Nando Moura, que consegue ainda ter relevância.

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário, cartão de crédito ou PIX.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

Ler comentários e comentar