Movimento ‘Ocupa MinC’ diz que não tem conversa com o Ministro

Os prédios ligados ao MinC ocupados pelo movimento ‘Ocupa MinC’ não serão desocupados e o grupo se recusa a participar de qualquer diálogo, como foi sugerido por Marcelo Calero, o novo ministro da Cultura.


O ‘Ocupa MinC’ realiza ocupações em prédios públicos em todo o país.

Diplomaticamente, o ministro declarou que iria dialogar para que os prédios fossem desocupados, ou seja, não ingressaria com nenhuma medida judicial para tal.

Teve, de pronto, sua pretensão rechaçada pelo movimento que disse que não tem diálogo com governo golpista e expediu a nota abaixo:  

"Nota de repúdio do Ocupa MinC RJ contra declarações de Marcelo Calero em entrevista ao jornal Folha de São Paulo:

Primeiramente, #ForaTemer.

Não haverá diálogo, conciliação ou negociação com quem trate com um governo golpista.

Não há república, democracia ou governo instituído, quando o voto da população é violentado com um golpe. Esta é a verdadeira gambiarra.

Não temos líderes, temos vozes.

É bom lembrar que o Palácio Gustavo Capanema não é apenas um prédio da Funarte, e sim do Ministério da Cultura. Estamos re-significando a função social deste espaço, não só no sentido da funcionalidade e da inserção da sociedade civil, mas transformando-o em um território de luta contra o retrocesso e a restrição de direitos promovidos por este governo ilegítimo, incluindo a nova reformulação do ministério.

Nosso movimento é nacional e unificado. Apoiamos e defendemos todas as ocupações brasileiras e não vamos aceitar diferença de tratamento entre as mesmas.

Não há coerência em um discurso contra o machismo, a homofobia, a xenofobia e pactuar com um projeto de governo golpista que assumiu de forma arbitrária, causando um desmonte de setores e instituições essenciais do Estado brasileiro como Saúde, Cultura, Direitos Humanos, Mulheres, Igualdade Racial, Povos Indígenas, Desenvolvimento Agrário, Previdência, Ciência e Tecnologia, Empresa Brasil de Comunicação, além da extinção da Controladoria-Geral da União - CGU.

Chamar um presidente golpista de "grande líder" é oportunismo. Queremos uma república de fato e de direito.

A luta pela democracia não tem data para terminar.

#NãoÉSóPeloMinc
#OcupaMinc
#OcupaTudo
#ForaCunha"

da Redação

da Redação

Comentários

Mais em Cultura