Venezuela aumenta salário mínimo em quase 300%, mas valor não dá pra comprar nem 1 kg de carne (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

O Governo Bolivariano de Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, anunciou, neste sábado (1), Dia do Trabalho, um aumento de quase 300% no valor do salário mínimo. Mas, os venezuelanos não têm nada a comemorar porque o novo acréscimo não é capaz de comprar um quilo de carne no país, devido à desenfreada hiperinflação.

"Entra em vigor um aumento do salário mínimo para 7 milhões de bolívares", equivalente a 2,5 dólares, informou o ministro do Trabalho, Eduardo Piñate, diante de uma concentração de seguidores do chavismo em ação por ocasião do dia 1º de maio.

Apesar do aumento, o montante é insuficiente para recuperar o poder de compra dos venezuelanos. O país sofre a pior crise da história moderna e 10 milhões de venezuelanos não conseguem comprar um quilo de carne, por 3,75 dólares, em uma economia dolarizada, atravessando seu quarto ano de hiperinflação e o oitavo de recessão.

A economia da Venezuela é administrada por comerciantes formais e vendedores ambulantes e os preços dos produtos sobem de acordo com a disponibilidade, em dólar, claro. Uma caixa de 30 ovos, por exemplo, custa 11 milhões de bolívares, o mesmo que um quilo de queijo, acima da renda mínima que Maduro, recentemente, concedeu aos conterrâneos.

"Esta não é a melhor notícia para um 1º de maio", disse o economista César Aristimuño à AFP.
"Embora seja verdade que gere um pequeno incentivo para muitos venezuelanos, no final o que veremos é um aumento maior de preços, infelizmente", lamenta.
"Enquanto não gerarmos uma política de crescimento industrial, social e econômico, será muito difícil dar aos venezuelanos poder de compra por meio dos salários", acrescentou.

E completou:

"Não há como perseguir a inflação em uma economia hiperinflacionária por meio do aumento de salários e saldos", concluiu.

Nicolás Maduro faz anos que havia deixado de anunciar aumentos salariais com exagero, como na época de seu antecessor Hugo Chávez. Este recente acréscimo nem foi publicado no Diário Oficial da Venezuela porque, de fato, não representa melhora na vida do cidadão que, cada vez mais, procura fugir do país em busca de condições melhores de vida.

Em setembro de 2018, Maduro foi visto num dos restaurantes mais caros do mundo: o do chef turco Nusret Gökçe, em Istambul, na Turquia.

Depois de publicar nas redes sociais vídeo em que era servido por Gökçe e ser bastante criticado, o presidente se justificou e disse:

“Isso é apenas uma vez na vida”, limitou-se a falar, durante a parada que fez naquele país, depois de voltar de uma viagem da China.

No restaurante do turco, há carnes com folhas de ouro que chegam a custar mil dólares o prato e vêm acompanhadas de performance, parecida com a que o chef fez para Maduro. Enquanto almoça no luxuoso empreendimento, um estudo universitário, publicado em fevereiro de 2018, mostrou que quase dois terços dos venezuelanos perderam uma média de 11 quilos de seu peso em 2017, e outros 87% vivem na pobreza.

Confira o vídeo:

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário,

cartão de crédito ou PIX.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

Fonte: G1

da Redação
Ler comentários e comentar