Começa o júri popular de Luis Felipe Manvailer, acusado de lançar a esposa da sacada do prédio onde moravam (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

Na madrugada de julho de 2018, após uma discussão quando retornavam de uma casa noturna, Luis Felipe Manvailer iniciou uma série de agressões à advogada Tatiane Spitzner.

Boa parte da ação do biólogo e ex-professor foi registrada pelas câmeras de segurança do prédio onde o casal residia. O homem corre atrás da esposa pelo estacionamento do condomínio e, depois, arranca a advogada à força do elevador e a agride.

Ao final dos ataques, segundo a ação penal, a mulher teria sido lançada da sacada do apartamento pelo próprio marido.

Ele nega ter matado a esposa, mas o Ministério Público do Paraná (MPPR) o denunciou por homicídio qualificado (feminicídio, motivo fútil e morte mediante asfixia) e fraude processual (por ter removido o corpo da vítima do local da queda e limpado vestígios de sangue deixados no elevador).

Manvailer teve o julgamento adiado duas vezes e, em fevereiro deste ano, a defesa dele abandonou o caso.

A tese do MPPR, comprovada pelo Laudo de Necropsia e pelo Laudo Anatomopatológico, é de que a vítima foi jogada da sacada quando já estava morta. Luis Felipe foi preso no mesmo dia depois de um acidente em São Miguel do Iguaçu, a 340 km de Guarapuava.

Confira o vídeo:

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário,

cartão de crédito ou PIX.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
Ler comentários e comentar