Um antro de marginais

Infelizmente, é assim que pode ser considerada atualmente a Câmara Municipal de Campo Grande, um antro de marginais.


Nesta terça-feira (31) a sociedade campo-grandense se sentiu revigorada.

Finalmente, o Ministério Público Estadual apresentou a denúncia contra inúmeros vereadores e algumas outras figuras nefastas, pelo golpe praticado contra a cidade no dia 12 de março de 2014.

Uma esdrúxula CPI, sem fundamentos lógicos, sem motivação, arquitetada com o único objetivo de recuperar o poder perdido nas urnas pela via eleitoral, foi fabricada por uma organização criminosa que, ao conseguir o seu intento, dilapidou os cofres públicos da Capital de Mato Grosso do Sul.

Durante um ano e cinco meses o prefeito Alcides Bernal ficou afastado do cargo, comprometendo a sua gestão e os sonhos dos eleitores.

De qualquer forma, se Deus escreve certo por linhas tortas, a corja de marginais está sendo desmascarada.

A denúncia foi entregue hoje ao Tribunal de Justiça que deverá acatá-la em sua plenitude e, fatalmente condená-los.

Aliás, já estão condenados a execração pública, falta que devolvam a grana e cumpram a pena, a que serão condenados, na penitenciária de segurança máxima.

Abaixo, parte da denuncia onde consta a lista dos denunciados. 

Escaparam, por enquanto, em razão do 'foro privilegiado', três golpistas: Rose Modesto (vice-governadora e secretária de estado), Eliseu Dionísio (deputado federal) e Grazielle Machado (deputada estadual).

Parabéns Campo Grande!

Lívia Martins

liviamartins.jornaldacidade@gmail.com

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Foco MS