Pânico no PT: Ronan Maria Pinto ameaça delação que pode desenterrar o caso Celso Daniel

A cúpula do Partido dos Trabalhadores está em pânico. Para além das gravíssimas sequelas deixadas pela presidente-afastada Dilma Rousseff e da queda vertiginosa do mítico ex-presidente Luiz Inácio da Silva, vulgo 'Lula', o desespero petista tem um nome: Ronan Maria Pinto, dono do jornal Diário do Grande ABC, preso na 27ª fase da Operação Lava Jato.


Na coluna Radar On-line, de Veja, a jornalista Vera Magalhães informa que os advogados de defesa de Ronan Maria Pinto alegam que seu cliente, preso no Complexo Médico Penal de São José dos Pinhais (Paraná), teve costelas fraturadas e uma perfuração pulmonar após 'uma queda' na sede da Polícia Federal, em Curitiba. Além disso, ele estaria apresentando sucessivas e longas paradas respiratórias, agravamento do quadro de hipertensão arterial e uma aguda prostatite, que é uma inflamação da próstata que pode ter 'origem diversa'.

O pânico no PT não é sem razão. Diante das circunstâncias, é forte a possibilidade de Ronan Maria Pinto assinar um acordo de delação premiada com a força-tarefa da Lava Jato, com potencial para desenterrar o misterioso assassinato do prefeito Celso Daniel.

Helder Caldeira.
www.ipolitica.com.br 

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Política