Naufrágio que abalou a “viagem dos sonhos” de chineses deve atingir 442 mortos

Apenas 14 pessoas conseguiram sobreviver

O trágico naufrágio do navio chinês “Estrela do Oriente” é  oficialmente o pior da China em mais de 70 anos. Os centenas de homens que trabalham no local do desastre, perto da cidade de Jianli, recuperaram 406 corpos de um total de 456 pessoas a bordo. Apenas 14 sobreviveram e 36 continuam desaparecidas, de acordo com o balanço divulgado nas primeiras horas de domingo - noite de sábado no Brasil. 

O navio “Estrela do Oriente”, de 76 metros de comprimento e 2.200 toneladas, naufragou durante uma tempestade na segunda-feira. A maioria dos passageiros eram aposentados. Mais de 3.400 soldados e 1.700 policiais participaram nesta semana das operações de resgate com 149 barcos. 

A recuperação da maioria dos corpos ocorreu horas depois de o navio ser virado em uma megaoperação na sexta-feira. O processo, que durou cerca de 22 horas, foi realizado com a ajuda de diversos guindastes instalados em outras embarcações. 

O presidente Xi Jinping  prometeu “eliminar todas as dúvidas” sobre o desastre. 

Mais de 1.200 familiares dos passageiros do “Estrela do Oriente” chegaram à pequena cidade de Jianli, no Centro do país, segundo a televisão estatal chinesa, indignados com a falta de informação. 

Jiang Zhao, gerente-geral da empresa que operava o navio pediu desculpas pela tragédia durante uma entrevista à imprensa estatal, dizendo que iria cooperar “totalmente” com a investigação. 

As circunstâncias que levaram ao acidente são atribuídas ao mau tempo. O capitão do navio — que se encontra sob custódia policial sem ter sido, até o momento, acusado por nenhum delito — relatou que foi surpreendido por um tornado durante a tempestade. Sobreviventes contaram à mídia estatal que o navio levou entre um e dois minutos para virar e afundar.

da Redação

Comentários