Lula recolhe-se e desiste de viajar o Brasil denunciando o ‘golpe’.

Lula está apreensivo, perdido e vivendo um raro momento de isolamento, prestes a entrar em pânico.


Tudo o que está acontecendo, ele já percebeu, leva-o para o crivo do juiz Sérgio Moro, o homem que lhe dá medo, aliás, o único temido por Lula em toda a sua trajetória.

Ninguém ouve mais falar na tal ‘jararaca’ que iria sair em caravana pelo país. A Jararaca foi mordida e está acuada.

Enquanto isso, Dilma alardeia que o ‘golpe’ foi para acabar com a Lava Jato.

Os petistas e os lulopetistas, quando se deparam com a delação de Sérgio Machado, vibram e louvam a Lava Jato, e fortalecem a nova retórica, a de que houve um ‘golpe’ para acabar com a Lava Jato.

Esquecem-se de Lula e de seus momentos de pânico quando de sua condução coercitiva. Esquecem-se dos duros ataques proferidos contra o juiz Sérgio Moro. Esquecem-se da célebre frase de efeito: ‘Se quiseram matar a jararaca, não bateram na cabeça. Bateram no rabo, e a jararaca está viva como sempre esteve’.

Presentemente, os rumos tomados são os piores possíveis para o ex-presidente. A Lava Jato está inatacável, todos a defendem, Dilma, Temer, petistas, tucanos. O juiz Sérgio Moro é praticamente uma unanimidade. Eventuais novas investidas da maior Operação contra a corrupção da história serão irrepreensíveis, inclusive contra Lula, e fatalmente para prendê-lo.

É só uma questão de tempo.

Edmundo Zanatta

redacao@jornaldacidadeonline.com.br

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Política