Em "tom de brincadeira", humorista Tatá Werneck diz que quer a “mamata” da Lei Rouanet de volta

Ler na área do assinante

Sem motivo aparente, a atriz, comediante e apresentadora da TV Globo, Tatá Werneck, publicou stories no Instagram, neste domingo (30), criticando o presidente da República Jair Bolsonaro. No post, ela compartilhou uma matéria ofensiva a Bolsonaro.

Nos stories, a humorista ironizou o presidente e disse:

“Não, gente. Imagina. É perseguição. O mundo tá contra o Bolsonaro. Queremos mamata. O mundo tá put* porque quer mamata da Rouanet”, escreveu ela, fazendo referência à Lei Rouanet, que foi alterada em suas regras para que tivesse um valor máximo a ser requisitado e que privilegiasse mais artistas desconhecidos do que os consagrados.

Em dezembro de 2018, a veterana atriz Fernanda Montenegro, durante o “Troféu Domingão – Melhores do Ano”, defendeu o uso dos incentivos fiscais federais por artistas; alegando que a classe não seria culpada pela “derrocada econômica do Brasil”.

"Não é possível fazerem de nós, gente de palco, atores de TV e cinema, responsáveis pela derrocada econômica do Brasil. Estende-se, de uma forma ultrajante, uma visão negativa, torpe e agressiva em cima de nós. Não somos responsáveis pela corrupção deste país através da lei Rouanet", justificou.

Criada em 1991, no Governo Fernando Collor, a Lei Rouanet concede incentivos fiscais a pessoas físicas e empresas privadas patrocinadoras de produtos ou serviços culturais. Em 2018, por exemplo, os 10 maiores captadores das verbas federais foram instituições consagradas. Porém, o Governo Bolsonaro acredita que os recursos devem ser priorizados para artistas que estejam em início de carreira.

Veja a lista de 2018:

Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP) - R$ 21.539.566,29;

Atelier de Cultura Produções Artísticas LTDA ME - (Produtora de musicais como "Billy Elliot") - R$ 16.522.408,92;

Fundação Orquestra Sinfônica Brasileira - R$ 14.814.520,20;

Aventura Teatros LTDA (produtora de musicais como "Elis, A Musical" e "Chacrinha, o Musical) - R$ 14.087.853,48;

Instituto de Desenvolvimento e Gestão - IDG (Museu do Amanhã) - R$ 14.007.522,00;

T4F Entretenimento S.A - (produtora de grandes shows e musicais, como "O Fantasma da Ópera") - R$ 13.843.026,80;

Parnaxx LTDA - ME (Festival de Teatro de Curitiba) - R$ 11.787.644,95;

Instituto Tomie Ohtake - R$ 11.722.874,11;

Fundação Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) - R$ 11.288.636,50;

Fundação Bienal de São Paulo - R$ 11.176.878,99.

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário,

cartão de crédito ou PIX.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

Fonte: UOL

da Redação
Ler comentários e comentar