Sócios do Correio do Estado já prestaram depoimento sobre calote dos ‘Trad’

O Ministério Público Federal já ouviu os três sócios do decadente jornal Correio do Estado, de Campo Grande (MS),  no procedimento que investiga empréstimo milionário de R$ 1,2 milhão para a família Trad, três dias antes das eleições de 2014.


Antonio João Hugo Rodrigues, Ester Figueiredo e Marcos Rodrigues foram ouvidos como testemunhas pelo procurador que busca identificar se o empréstimo de R$ 1.200.00,00 feito pelo jornal e depositado nas contas de vários indicados pelos irmãos Trad, foi utilizado de forma legal no final da campanha.

Para os três que depuseram em dias separados, o procurador fez uma pergunta crucial. “Vocês sabem se o dinheiro foi ou não usado de forma ilegal?”. Os três disseram que não sabem.

Ficou o alerta do procurador Marcos Nassar que reafirmou que caso um dos três sócios tenha conhecimento desse fato podem incorrer em crime de falso testemunho.

O primeiro a comparecer na sede do MPF foi Antônio João, velho parceiro do trio, cujo depoimento foi o mais extenso justamente por ser o intermediador junto a empresa para liberação do dinheiro diante do pedido de Marcos Trad.

O MPF continua a investigação num procedimento que está sob sigilo.

Os outros integrantes dessa trama que estão sendo ouvidos são os personagens que receberam o dinheiro por indicação da família Trad, entre eles a M&C Contabilidade e a M&C Serviços de Cobrança LTDA nas pessoas de seus sócios Cícero Rosa Vilela e Márcia Gomes Vilela. Ela inclusive que é contadora de empresários do jornal.

Por último serão ouvidos Nelson Trad Filho, Marcos Trad e Fábio Trad, além de Antonieta Amorim.

O dinheiro ainda não foi pago aos empresários do Correio do Estado, apesar de Nelsinho ter assinado confissão de dívida feita pelo irmão Marquinhos Trad.

da Redação

Fonte: Blog do Nélio

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Foco MS