Denuncias de abuso sexual maculam a imagem da ONU

Ban Ki-moon, secretário-Geral da entidade, está extremamente preocupado com a situação

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, criou uma comissão independente para investigar sobre a gestão pela Organização das Nações Unidas (ONU) das alegações de abusos sexuais envolvendo tropas estrangeiras na República Centro-Africana (RCA).

O porta-voz do escritório da Organização das Nações Unidas (ONU) indicou Quarta-feira que a comissão externa e independente de inquérito “vai investigar sobre o tratamento do relatório específico sobre os abusos no RCA e também sobre uma ampla gama de questões ligadas à resposta dada pelas Nações Unidas a uma grave informação deste género.”

“Como indicado ao longo dos últimos anos, o secretário-geral está profundamente preocupado por essas alegações de abusos sexuais cometidos pelos soldados na RCA e igualmente pelas alegações relativas à maneira como elas foram geridas pelas diferentes instâncias do sistema das Nações Unidas “, referiu.

A nota acrescenta que o objetivo do secretário-geral, com a criação desta Comissão, é garantir que as Nações Unidas ONU não traiam as vítimas de abusos sexuais, “sobretudo porque foram cometidos por aqueles que deveriam protegê-las.” O chefe da ONU vai anunciar, nos próximos dias, o responsável da Comissão e os seus termos de referência. Na semana passada, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Zeid Al-Hussein, informou que o seu escritório fez “um exame profundo das revelações relativas às supostas alegações de graves abusos sexuais cometidos contra as crianças, apesar do fato de que as forças envolvidas nos incidentes não faziam parte dos capazetes azuis da ONU “.

da Redação

Comentários