Cármen Lúcia quer explicações do Exército sobre sigilo no caso do General Pazuello e dá prazo de 5 dias ao Ministério da Defesa

Ler na área do assinante

Ação movida por partidos de oposição - PT, PCdoB, PSOL e PDT, sempre eles – quer a suspensão do sigilo que o Exército Brasileiro impôs ao processo disciplinar aberto contra o general Eduardo Pazuello.

No dia 23 de maio, Pazuello participou de um ato público juntamente com o presidente Jair Bolsonaro.

O processo disciplinar ouviu Pazuello e decidiu que não houve nenhuma transgressão por parte do ex-ministro da saúde.

A velha mídia, sempre disposta a atacar o presidente da República, solicitou documentos relacionados ao processo.

O Exército se negou a fornecer com base na Lei de Acesso à Informação (LAI), vez que alega que a apuração continha dados pessoais, o que possibilitaria o sigilo de 100 anos.

A ministra agora quer que o Exército se manifeste e deu prazo de 5 dias para que o Ministério da Defesa se manifeste.

Será que a ministra terá coragem de mandar que o Exército apresente para a sedenta plateia dados pessoais de um general da ativa?

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário, cartão de crédito ou PIX.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

Fonte: G1

da Redação
Ler comentários e comentar