Governador do RS sai do armário, assume homossexualidade e é ‘fuzilado’ por Jean Wyllys... Homofobia?

Ler na área do assinante

A incoerência predomina na esquerdalha.

Nesta quinta-feira (1º), em entrevista ao apresentador Pedro Bial, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, assumiu sua homossexualidade.

“Eu sou gay. E sou um governador gay, e não um gay governador, tanto quanto Obama nos Estados Unidos não foi um negro presidente, foi um presidente negro. E tenho orgulho disso.”

Leite disse ainda que não tem ‘nada a esconder’, que se orgulha de sua sexualidade e que tem um namorado.

Algo que deveria ser respeitado e comemorado pelos defensores da causa.

De maneira inacreditável, o governador passou a ser atacado pelo ex-deputado Jean Wyllys.

Extremamente incoerente.

E foram diversos os ataques:

“Quando se é branco, rico e soldado da plutocracia e do neoliberalismo que “não tolera” a homofobia porque LGBTQ viraram nicho de mercado rentável, fica fácil “assumir-se” gay (ainda que se negando) e catalizar a solidariedade acrítica dos cúmplices e ingênuos.”
“Enquanto o gay recém-saído do armário não expressar por ATOS e novas palavras que se arrepende de ter apoiado alegre e explicitamente um homofóbico racista que se revelou genocida, sua saída do armário não será, para mim, fonte de alegria acrítica. Não adianta.”
“E o que mais me espanta é a maneira como jornalistas da chamada mídia alternativa entram nessa festa pobre sem nenhuma crítica e ainda querendo sugerir (quase impor) a nós LGBTQ assumidos (e na luta desde sempre!) que louvemos esse jogo da mesma forma ingênua, pra não dizer burra.”
“Voltei só pra dizer mais uma coisa: é tão ridículo ver heteros querendo impor a nós LGBTQs assumidos e na luta desde sempre que louvemos sem crítica o outing de um governador de direita que até ontem era jagunço de um racista homofóbico que se revelou genocida. Poupem-nos!”

Quer dizer, o sujeito só respeita como gay, quem apoia os seus obscuros interesses políticos.

Vale lembrar que Jean defende Lula, o ‘ladrão’ que ganhou do STF a condição de ser candidato a presidente da República.

Esse mesmo ‘ladrão’ durante sua nefasta trajetória, por diversas vezes já demonstrou o seu preconceito com homossexuais.

Logo se vê o que já se sabe, querem que a ‘causa’ seja exclusiva para os apoiadores do ex-presidiário.

É o monopólio Gay.

da Redação
Ler comentários e comentar