O recado para o STF: "Se jogarem fora das quatro linhas da Constituição, entramos no vale-tudo" (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

Em uma conversa com apoiadores que aguardavam sua chegada ao Palácio do Planalto nesta sexta-feira (2), o presidente Jair Bolsonaro comentou a notícia de que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes abriu um novo inquérito, cujo alvo são os filhos de Bolsonaro, o senador Flávio Bolsonaro e o vereador da cidade do Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro.

“As nossas práticas, como diferem muito dos [governos] anteriores, a pressão vem para cima da gente, pra cima da família. [Foi aberto um] inquérito especial para dois dos meus filhos hoje: o mais velho e o 02 sobre Fake News. Não tem problema. Se jogarem fora das 4 linhas da Constituição, entramos no ‘vale-tudo’ no Brasil. Se é vale-tudo, é vale-tudo”, afirmou.

O presidente fez questão de salientar as semelhanças entre a estratégia usada por Alexandre de Moraes e as utilizadas na época da ditadura:

“Então, esse negócio de prender esposa, irmãos e filhos é das ditaduras. Não acha o cara em casa, prende a esposa e prende os filhos. Então, se a ideia for essa, se avançarem, entro no campo minado chamado ‘vale-tudo’. E no vale-tudo, vale-tudo para os dois lados”, apontou ele.

E aproveitou para comentar sobre uma possível articulação entre ministros do STF para impedir a implementação do voto impresso auditável no Brasil:

“Alguns querem que eu tome medidas drásticas. Olha, eu não vou chutar o pau da barraca, mas se chutarem, eu acho que a força é muito maior para o nosso lado”, avisou ele.

Confira:

O Jornal da Cidade Online é hoje uma voz em defesa da nossa pátria.

Por isso somos atacados por grupos anônimos e pela grande mídia perversa que quer o monopólio da informação e da opinião.

Estamos sobrevivendo, mas precisamos da ajuda de nosso leitor.

Faça a sua assinatura e tenha acesso ao conteúdo exclusivo da Revista A Verdade.

Clique no link abaixo:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
Ler comentários e comentar