Ser forte ou ser fraco, e o tempo de resistir

Ninguém é plenamente forte ou totalmente fraco, às vezes, a sensação de estar nesta condição, decorre de momentos movidos por aquilo que consideramos desafiador, algo com o qual precisamos lidar, por estarmos diante do desconhecido. 

Vivemos num mundo marcado pelo culto à forma, onde a aparência se sobrepõe à essência, onde a beleza física vale mais, aos olhos da maioria, que o intelecto e o sentimento de cada um.

Quando pensamos em fragilidade, imaginamos algo pequeno, fino, quebradiço, de material pouco resistente, e, ao imaginarmos fortaleza, pensamos, de imediato em uma coisa grande, robusta, rígida, de material, resistente.

A ideia de fraqueza tem no seu oposto, o lado forte, e é aí, exatamente neste ponto, que começa a surgir à complexidade do tema, a confusão gerada pela maneira como usamos as palavras e o que queremos dizer através delas.

Em nossa existência, nos deparamos com o avesso das situações, à semelhança do que pensamos sobre o ser e estar forte ou fraco, podemos nos ater a uma pintura, que, muitas vezes, se nos apresenta bonita, composta de volume, porque é feita de luzes e sombras. 

Muitas vezes, a escuridão na nossa vida põe maior destaque na luz de Deus que está sobre nós.

Podemos perguntar-nos: Será que as fraquezas humanas estão sempre ligadas à fragilidade, à falta de força?

Atitudes fracas ou frágeis podem ser consideradas muitas vezes, fortes.

Será que, nas ações fortes, nunca há fraqueza? Atitudes de força, não poderiam, às vezes, representar fragilidade, fraqueza? 

Ou será que, eventualmente, as ações fortes podem demonstrar apenas a fraqueza de quem age? Por exemplo, numa briga, um homem consegue matar o outro.

Neste caso, sem dúvida, consideraríamos que ele foi forte? Em quais sentidos ele pode ser considerado forte, e/ou, fraco?

Tenho aprendido, no meu dia a dia, trabalhando com pessoas que se sentem frágeis, que o desconhecido gera medo e este as impulsiona a se defenderem, a se protegerem da ameaça. Dependendo do quanto se sintam ameaçadas reagem fortemente, por se sentirem fracas, ou seja, reagem por temerem que o inimigo seja mais poderoso que elas e as destrua.

Dentre tantos modelos que experimentaram a antítese de tudo, podemos citar Mahatma Gandhi. 

Dono de um caráter inabalável, de uma fé obstinada, de uma força moral gigantesca, o homem que, por meio da desobediência civil e da resistência pacífica conseguiu libertar a Índia do jugo britânico era fisicamente frágil, vestia-se com simplicidade, andava de chinelos ou descalço mesmo quando representava a Índia em eventos internacionais.

Somos limitados, imperfeitos, frágeis. Ter consciência disso, talvez seja nossa maior fortaleza. Principalmente se não virmos neste fato alguma coisa que nos faça menores, inferiores, mas simplesmente, humanos.

Cada escolha que realizamos altera o nosso destino para o bem ou para o mal. 

Hoje você bate amanhã você apanha. Hoje você aconchega amanhã você é amado. A matemática da vida exige muito mais do que raciocínio, ela requer sensibilidade. “A semeadura é livre, a colheita é obrigatória”. 

Use bem a sua liberdade! 

A vida requer cuidado. Os amores também. Flores e espinhos são belezas que se dão juntas. Não queira uma só, elas não sabem viver sozinhas... Quem quiser levar a rosa para sua vida, terá de saber que com elas vão inúmeros espinhos. Não se preocupe a beleza da rosa vale o incômodo dos espinhos... (Padre Fábio de Melo).

Pio Barbosa Neto

Professor, escritor, poeta, roteirista

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários