Zambelli e Girão escancaram golpe de 4 bilhões em Fundão: “Dinheiro que seria para implantar voto auditável” (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

A deputada federal Carla Zambelli e o senador Eduardo Girão escancararam nesta quinta-feira (15), o que seria só mais uma entre tantas “farras com o dinheiro público” promovidas por partidos e parlamentares, mas que, na verdade, se trata de uma nova ação articulada para impedir a implementação do voto eletrônico impresso auditável nas eleições de 2022.

Trata-se de um artigo da Lei de Diretrizes Orçamentárias, que acabou aprovado na câmara e agora está em análise no senado, que ampliou o valor do Fundão Eleitoral de 1,7 para 5,7 bilhões de reais.

Horas antes da aprovação, Zambelli explicou que a metade dos 4 bilhões a mais, destinados às legendas partidárias, estava reservado justamente para arcar com os custos da aquisição de urnas mais modernas e de impressoras.

Girão, em meio à audiência da CPI da pandemia, fugiu do tema do colegiado para também alertar a proposta absurda, informando que não a aprovaria e chamando a atenção, ainda, para os valores absurdos destinados a campanhas eleitorais, em um momento em que o país vive uma crise de saúde.

Está cada vez mais claro a trama. Eles estão agindo e cercando de todos os lados, para garantir que o resultado das urnas em 2022 não possa ser questionado.

Veja os vídeos:

O Jornal da Cidade Online é hoje uma voz em defesa da nossa pátria.

Por isso somos atacados por grupos anônimos e pela grande mídia perversa que quer o monopólio da informação e da opinião.

Estamos sobrevivendo, mas precisamos da ajuda de nosso leitor.

Faça a sua assinatura e tenha acesso ao conteúdo exclusivo da Revista A Verdade.

Clique no link abaixo:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
Ler comentários e comentar