Recordista em inquéritos, Renan permanece incólume

O presidente do Senado Federal é um verdadeiro recordista em inquéritos, alvo de oito investigações na Operação Lava Jato.

Todavia, de acordo com matéria que o jornal ‘Folha de São Paulo’ estampa em manchete nesta segunda-feira (27), Renan Calheiros é alvo de mais uma investigação, de caráter sigiloso, que apura se ele recebeu propina no exterior por meio do lobista Jorge Luz, referente a um negócio da Petrobras na Argentina.

Esse caso, é a primeira frente de investigação da Lava Jato que relaciona Renan a um possível recebimento de vantagem indevida fora do país.


Se constatado, assim como os demais casos que envolvem o senador alagoano, seria uma demonstração de sua enorme versatilidade no que diz respeito a coisas erradas, propinas e corrupção. 

A procuradora-geral de Justiça, Ela Wiecko atesta em seu despacho: ‘O repasse de vantagem pecuniária indevida a Renan Calheiros, Jader Barbalho e Aníbal Gomes, por meio de valores em espécie no Brasil ou transferências para contas bancárias no exterior, pode configurar os crimes de corrupção passiva qualificado e de lavagem’.

Além desse caso e outros que prescreveram por inépcia do STF - como a suposta ‘fraude’ na venda de gado, que Renan utilizou para justificar o pagamento de pensão a uma filha com uma amante - o presidente do Senado tem, portanto, mais nove inquéritos oriundos da Operação Lava Jato em pleno andamento, aguardando denúncia. Ou prescrição, como já aconteceu, um lamentável absurdo, que revela uma angustiante e enigmática falta de vontade do Poder Judiciário, nas questões que envolvem esse cidadão.

De qualquer forma, um recorde incontestável...

da Redação

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Comentários

Mais em Política