Paulo Bernardo recorre ao STF buscando benefício de foro privilegiado da mulher

O foro privilegiado, por si só, é uma verdadeira aberração. Muito pior é um cidadão como Paulo Bernardo buscar o privilégio, valendo-se do direito da esposa, a senadora Gleisi Hoffmann.


É o que tentam os advogados do ex-ministro. O recurso foi proposto nesta terça-feira (28) sob a alegação de que a atuação do petista está vinculada a da senadora.

A petição interposta pede liminar para que Paulo Bernardo seja colocado em liberdade e que as investigações contra ele, alvo principal da Operação Custo Brasil, sejam suspensas.

A tese dos advogados de defesa é a de que a Operação Custo Brasil ‘atinge diretamente’ Gleisi Hoffmann, que frequentemente nas investigações é relacionada a Paulo Bernardo no esquema de cobrança de propina por meio da empresa Consist.

“A investigação trata Paulo Bernardo e Gleisi Hoffmann sempre, invariavelmente, como coautores dos mesmos fatos, buscando claramente caracterizar uma espécie de permanente e indivisível 'concurso necessário' entre eles, (...) o que leva à atração do feito ao Egrégio Supremo Tribunal Federal, por força da prerrogativa de foro da Senadora da República’, diz a defesa.

Uma tese ridícula, que deve ser rechaçada, diante da quantidade de provas já apuradas contra o ex-ministro e a gravidade dos fatos.

Um absurdo que, após todos os atos praticados, Paulo Bernardo queira se beneficiar de uma legislação injusta e que não lhe dá guarida.

O mais interessante seria que a senadora, que brada inocência, abrisse mão do seu foro privilegiado e viesse responder com o marido e os demais membros da quadrilha perante a 1ª instância.

Fica a dica!

da Redação

da Redação

Comentários

Mais em Política