Ex-advogado do PT, ora ministro do STF, revoga prisão de Paulo Bernardo

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, acaba de revogar a prisão preventiva do ex-ministro Paulo Bernardo.


Na análise explanada pelo ministro do STF, a prisão de Paulo Bernardo constituiu-se em ‘constrangimento ilegal’.

Na verdade, a decisão de Toffoli é que constrange a sociedade brasileira.

A Operação Custo Brasil colheu provas irrefutáveis de que o ex-ministro do Planejamento de Lula, lesava o servidor público através de um bem engendrado sistema de consignação de empréstimo na folha de pagamento.

A Consist recebia cerca de R$ 1,25 por parcela de empréstimo paga, quando o valor de mercado é de R$ 0,30. O valor excedente era dividido entre Paulo Bernardo, líderes petistas e o próprio PT, segundo os investigadores. 

Na mesma petição os advogados pediam a suspensão da operação Custo Brasil. Felizmente, Toffoli não teve coragem para tanto.

Na decisão do ministro, ainda foi determinado que a Justiça de São Paulo avalie a aplicação de medidas alternativas, como uso de tornozeleira eletrônica.


da Redação

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça