Depoente exerce o direito de ficar calado e Aziz, muito irritado, "surta" (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

Nesta quarta-feira (18), o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, Omar Aziz, acabou novamente perdendo a paciência e a compostura durante a sessão em que o advogado da Precisa Medicamentos, Túlio Silveira, prestava depoimento.

O advogado obteve no Supremo Tribunal Federal (STF), o direito de permanecer em silêncio sobre fatos que pudessem incriminá-lo.

“Exercerei o direito inalienável ao silêncio, pois estou na condição de investigado, haja vista as medidas cautelares que foram imputadas contra mim.
Meu sigilo telemático e telefônico foi quebrado por esta CPI. Vários ofícios foram encaminhados às entidades correspondentes, e, por essa razão, me encontro, de fato, como investigado”, disse Silveira.

Aziz, visivelmente irritado por não conseguir que os depoentes sustentem a narrativa que vem sendo imposta pela CPI, perdeu a paciência e disparou:

“Tudo agora é não me toque!”.

Confira:

A liberdade no Brasil está em risco!

O Jornal da Cidade Online está sofrendo ataques escancarados.

“Velhas raposas” da política, através da malfadada CPI, comandada por figuras nefastas como Aziz, Renan e Randolfe quebraram nosso sigilo bancário. Nada irão encontrar.

O TSE, por sua vez, determinou a desmonetização do JCO. Uma decisão sem fundamento, sem qualquer intimação e sem o devido processo legal. Quebraram nossas pernas!

Precisamos da ajuda de todos os patriotas.

Sua colaboração é importante para que a verdade prevaleça!

Faça a sua doação:

Ou faça a sua assinatura e tenha acesso ao conteúdo exclusivo da Revista A Verdade.

Clique no link abaixo:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
Ler comentários e comentar