General cita o STF e dispara: "Se o Exército chamar a Polícia Militar, esta deve obedecer” (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

O presidente Bolsonaro revelou na última live os esquemas do PT, que usava dinheiro público para financiar ditaduras. Junto com o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, Bolsonaro mostrou o rombo deixado pela era petista no banco público.

Para o deputado federal General Girão, diferente de outros governos, o Brasil está no rumo certo:

“Agora, os cinco bilhões, ao invés do BNDES mandar lá pra fora, vai ser usado para fazer a construção de barragens, trazendo a segurança hídrica para o nosso país. Dinheiro que era usado lá fora não está indo mais. E, pasme! Este recurso tinha até aprovação do Congresso Nacional”, ressaltou, em entrevista à TV JCO.

Já a advogada Flavia Ferronato, que também participou do bate-papo, relembrou a atuação do Foro de São Paulo no investimento feito nos governos de esquerda nas ditaduras internacionais.

“A gente não pode esquecer disso, eram parceiros do governo brasileiro numa empreitada pela América Latina e África também”.

Ferronato também falou na imoralidade que é ter um ex-presidente que roubou o país concorrendo à presidência em 2022.

“É muito complicado a gente ver esse cidadão solto pelo STF, poder ser eleito presidente da República e fazer daí pra pior”, ressaltou.

“Se o Exército Brasileiro chamar a Polícia Militar, esta deve obedecer”

Para aqueles que estão tentando impedir as manifestações do Sete de Setembro, até botar os policiais contra o povo ou as Forças Armadas, o General Girão foi taxativo:

“Se o Exército Brasileiro chamar a Polícia Militar, esta deve obedecer, segundo diz a Constituição. Na hora que o Exército quiser, ele requisita e acabou.
E não pode não se colocar à disposição, se não, está infringindo a Constituição. Torcemos para que o país não entre em uma guerra de brasileiros contra brasileiros, que exista harmonia entre poderes, uma harmonia que não negocie a Constituição”, apontou.

“A gente passou daquela fase de decidir no voto, tem que decidir nas ruas”

Para Ferronato, a chance de resolver os males que o país vive é nas ruas, com o povo.

“Estamos em um momento muito complexo da história do Brasil. A gente não tem que deixar só nas mãos dos militares. Eu acho que o povo brasileiro, neste momento, é quem pode fazer a diferença para decidir o futuro da nação. A gente passou daquela fase de decidir no voto, tem que decidir nas ruas”, afirmou a advogada.

General Girão comentou ainda sobre a perseguição aos canais conservadores, tentando sufocar os veículos tirando a monetização.

“Eles miraram sua metralhadora contra nós, contra a mídia conservadora e a gente sabe muito bem que isso precisa de uma reação. O Supremo Tribunal Federal, ao invés de ser supremo, ele está se declarando absoluto”, completou o parlamentar.

Confira:

A liberdade no Brasil está em risco!

O Jornal da Cidade Online está sofrendo ataques escancarados.

“Velhas raposas” da política, através da malfadada CPI, comandada por figuras nefastas como Aziz, Renan e Randolfe quebraram nosso sigilo bancário. Nada irão encontrar.

O TSE, por sua vez, determinou a desmonetização do JCO. Uma decisão sem fundamento, sem qualquer intimação e sem o devido processo legal. Quebraram nossas pernas!

Precisamos da ajuda de todos os patriotas.

Sua colaboração é importante para que a verdade prevaleça!

Faça a sua doação:

Ou faça a sua assinatura e tenha acesso ao conteúdo exclusivo da Revista A Verdade.

Clique no link abaixo:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
Ler comentários e comentar