Lula se oferece como ‘cabo eleitoral’, mas é desprezado. Quem quer?

Luiz Inácio perdeu a noção do ridículo.

Como instrumento de barganha para obtenção de votos contra o impeachment de Dilma Rousseff, o ex-presidente está se oferecendo como ‘cabo eleitoral’ nas eleições municipais de outubro. 

A informação é trazida pelo jornal ‘Folha de São Paulo’, desta quinta-feira (7).

Sobre o assunto o senador petista Humberto Costa afirmou:

‘Essa é uma possibilidade concreta, um ponto que pode ser objeto de negociação, tratando da realidade local e regional’.

Apostando nisso, esta semana Lula inicia uma caminhada pelo Nordeste, devendo visitar os estados da Bahia, Ceará e Pernambuco.

A questão é que com Lula envolto em tantas denúncias e com a desmoralização crescente do PT, ter Lula num palanque tornou-se algo absolutamente temerário.

De qualquer forma, o discurso do ex-presidente é no sentido de que caso Dilma retome o cargo, o governo será ‘diferente’, com ele no comando e mudanças ‘imediatas’ na política econômica.

Nesse sentido, o aliado ocasional Roberto Requião tem feito jantares com senadores para discutir a questão. Nesta quarta-feira (6) fez o terceiro. O problema é a diminuição do número de senadores participantes.

No primeiro ‘boca livre’ foram 28, no segundo, 25, e, neste último, com a presença de Lula, apenas 23.

Pelo visto, ninguém quer tê-lo como cabo eleitoral. Dizem que até Fernando Haddad está evitando muita proximidade.

Amanda Acosta

redacao@jornaldacidadeonline.com.br

da Redação

Comentários