Giroto: ‘Fui um otário, devia ter sido candidato à reeleição’

Preso mais uma vez pela ‘Operação Lama Asfáltica’, com esta frase o ex-deputado federal Edson Giroto teria manifestado toda sua indignação para um ex-assessor:  ‘Fui um otário, devia ter sido candidato à reeleição’.


Com muito dinheiro, mas sem mandato, Giroto não tem ‘foro privilegiado'.

Homem de confiança de André Puccinelli, ele assumiu a frente em todas as negociatas nos 16 anos que o ex-prefeito e ex-governador ficou à frente do poder executivo de Campo Grande e do Mato Grosso do Sul, respectivamente.

Sob o comando de Edson Giroto, as gestões de Puccinelli transformaram-se num antro de negócios ilícitos, improbidades e corrupção desenfreada.

Diante disso, nesta quinta-feira (7), mais uma vez Giroto retornou ao 'xilindró'.

Mesmo assim, com seu braço direito de suas quatro gestões preso, Puccinelli ainda tem a cara de pau de cogitar candidatura no próximo pleito.

Há quem duvide que ele ficará solto até lá.

Aguardemos.

Lívia Martins

liviamartins.jornaldacidade@gmail.com

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Foco MS