Do bolso da Odebrecht saiu sede para Instituto Lula

Na medida em que os investigadores vão se debruçando na enorme quantidade de documentos colhidos nas mais diversas fases da Operação Lava Jato, novas e escabrosas revelações vão surgindo, surpreendendo pela desfaçatez como a falta de ética, a crença na impunidade e a corrupção perdurou ao longo dos governos do PT.


A mais nova descoberta dá conta de que uma sede para o ‘Instituto Lula’ foi providenciada pela Construtora Odebrecht.

A compra foi feita em nome de uma outra construtora, a DAG, de Salvador, parceira em negócios da Odebrecht.

O prédio foi adquirido e uma ampla reforma foi idealizada, da mesma maneira como acontecera nos sítio de Atibaia e no Triplex do Guarujá.

Dona Marisa Letícia participou de tudo. Um projeto de reforma do imóvel, que incluía auditório, sala para exposição e até apartamento com cinco suítes na cobertura, foi localizado numa pasta cor de rosa endereçada a dona Marisa Letícia e apreendida pela Polícia Federal.

Por motivos ainda não definitivamente esclarecidos, o Instituto Lula acabou sendo instalado em outro local.

Além da pasta com o projeto de reforma, a PF apreendeu na residência de Lula, em São Bernardo do Campo, e-mails impressos que indicam que a negociação do prédio, de 5.268 m² de área construída, chegou a ser feita por Roberto Teixeira, amigo e advogado do ex-presidente.

O mesmo Teixeira que participou da aquisição do sítio em Atibaia.

da Redação

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Política