Diretor de entidade que denunciou Nelson Cintra faz ameaças ao Jornal da Cidade

Uma situação inusitada e surpreendente. A Federação Interestadual dos Trabalhadores de Rádio e TV (Fitert), entidade que bancou e apoiou a denúncia da jornalista Nilmara Caramalac, contra o diretor-presidente da Fundação de Turismo do Estado de Mato Grosso do Sul, Nelson Cintra Ribeiro, por assédio sexual, demonstra que arrependeu-se da iniciativa.


Tudo indica que houve pressão do Governo de Mato Grosso do Sul, pelo menos esse é o ‘modus operandi’ que se evidencia nas ações da gestão de Reinaldo Azambuja.

Ora, uma carta redigida e confeccionada pela entidade foi enviada ao governador, relatando minuciosamente todo o acontecido.

O Jornal da Cidade, ao tomar conhecimento do assunto, ante a gravidade, imediatamente repercutiu com a matéria intitulada ‘Assédio sexual é mancha gravíssima na gestão de Reinaldo Azambuja’ (veja aqui). 

Eis que no dia 13 de julho (quarta-feira) o celular da redação do Jornal da Cidade, recebeu duas ligações do número 11-97279-0713.

O interlocutor se identificou como José Antônio de Jesus da Silva, diretor-coordenador da tal Fitert, uma entidade com sede em Brasília, filiada à CUT.

José Antonio, da Fitert
José Antonio, da Fitert


Esse indivíduo, atendido pelo editor do Jornal da Cidade, em linguagem extremamente inapropriada, questionava a publicação da matéria e a citação da tal carta, fazendo ameaças de ingressar com ação em represália à publicação.

O tal José Antônio agora sustenta que a carta é falsa, entretanto admite que a entidade recebeu a denúncia e está estudando o assunto.

Fica patente e nítida a impressão de que a Fitert, sabe-se lá por quais motivos, parece ter desistido de dar proteção à jornalista.

Preferiu ficar do lado do governo, que, pelo visto, vai tentar de todas as formas abafar o caso.

Não permitiremos. 

Nota de Esclarecimento

Dois dias após as ligações telefônicas mencionadas, a mesma Fitert encaminhou para a nossa redação uma estranha ‘Nota de Esclarecimento’ abaixo publicada, assinada em parceria com o Sintercom (Sindicato dos Radialistas de Mato Grosso do Sul): 

NOTA DE ESCLARECIMENTO  

A Federação Interestadual dos Trabalhadores em Empresas de Radiodifusão e Televisão – FITERT, entidade sindical de 2º grau, representante de todos os trabalhadores vinculados aos sindicatos de Radialistas a ela filiados, vem a público esclarecer a matéria veiculada no “Jornal da Cidade” com o título “Assédio sexual é mancha gravíssima na gestão de Reinaldo Azambuja”.   

A FITERT recebeu a denúncia publicada e encaminhou ao departamento jurídico da entidade, para que se posicionasse, haja vista a gravidade dos fatos narrados, no entanto, até o presente momento não obteve nenhuma resposta, após o posicionamento do jurídico será encaminhado para o Sindicato dos Radialistas do Estado de Mato Grosso do Sul, e só após manifestação do sindicato local será encaminhado para a direção da Federação para as providências pertinentes. 

A FITERT esclarece que não publicou e nem autorizou nenhuma publicação em seu nome, pois, para quaisquer veiculações, obrigatoriamente passa pela direção desta instituição, que respeita os preceitos constitucionais da boa informação e se mantém firme na linha de defesa intransigente dos direitos e interesses dos radialistas brasileiros. 

O SINTERCOM/MS (Sindicato dos Radialistas de Mato Grosso do Sul), como entidade de 1º grau, não teve conhecimento dos fatos em nenhum momento (quando ocorrido), mas, somente à partir da publicação noticiosa e nas redes sociais. Defende também de forma veemente os grupos minoritários: de gêneros, mulheres e etnias, no contexto público e social. Não negaria em momento algum tal tutela, se consultado fosse e comprovado a veracidade dos fatos e está a disposição de qualquer membro da comunidade dos radialistas sul-mato-grossenses, no que tange a defesa e solidariedade, para que, seus direitos não sejam violados. 


Esclarecemos, ainda, que a REDE DE MULHERES E MINORIAS DA FITERT é um órgão auxiliar da Federação para o debate de toda e qualquer violência contra a categoria. 

A FITERT luta e combate todos os tipos de violências e atrocidades praticadas por qualquer pessoa ou instituição contra os profissionais que representa, e se coloca, junto com o Sindicato dos Radialistas de Mato Grosso do Sul, no sentido de apurar os fatos noticiados e, caso comprovados, encaminhar a denúncia para as autoridades competentes no Brasil.        

Diretoria colegiada

FITERT 

Ricardo Córdoba Ortiz

Presidente em Exercício - SINTERCOM/MS

da Redação

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Denúncias