Deputado denuncia ideologia de gênero em material didático: “A escola não pode ser fábrica de ideologias” (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

O deputado federal Eli Borges (Solidariedade-TO) está travando uma luta contra a imposição de ideologia de gênero nas escolas de Palmas, no Tocantins. No que depender dele, a prefeitura terá que rever a abordagem relativa à família contida no material didático preparado para as crianças do primeiro ano na rede municipal. Em entrevista à repórter Berenice Leite, em Brasília, ele mostrou a cartilha com apologia à ideologia de gênero, flexibilizando o conceito de família para crianças de até 7 anos.

“É lamentável que o município comece a provocar uma confusão na cabeça das crianças, em desrespeito a sua fase cognitiva. Se a escola quer trabalhar a não discriminação, que trabalhe, mas não mostrando caminhos que as crianças não estão preparadas para compreender”, ressaltou.

“A indústria da impunidade está rolando solta no Brasil”

O parlamentar comentou ainda sobre os desafios da segurança pública no país.

“A segurança é um problema nacional. A polícia, não só no Tocantins, mas no restante do país, está fazendo seu trabalho, lamentavelmente, a indústria da impunidade está rolando solta. A polícia está prendendo [os bandidos], em algum momento, parte do judiciário está soltando, parte dos delegados está soltando...”, apontou Borges, que defende também a redução da maioridade penal.

“Talvez o ministro Barroso nunca tenha passado fome”

Eli Borges, que também é pastor, criticou duramente a decisão do ministro Barroso, do STF, de proibir missões religiosas em áreas indígenas isoladas.

“O cristão faz um bem à sociedade praticamente a custo zero para o erário público. Quando o ministro Barroso faz isso, talvez ele nunca tenha passado fome, ele se esquece que os missionários levam alimento para os indígenas, saúde, a palavra restauradora. Vivemos esse drama do Brasil, um Supremo que começa a legislar e extrapola seu poder”, ressaltou.

Confira:

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou a desmonetização do Jornal da Cidade Online.

Um ato de Censura Prévia. Um atentado a liberdade de expressão.

Uma decisão sem fundamento, sem qualquer intimação e sem o devido processo legal.

Precisamos da ajuda de todos os patriotas.

Faça a sua assinatura e tenha acesso ao conteúdo exclusivo da destemida Revista A Verdade.

Clique no link abaixo:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

Cada colaboração é importante para que a verdade prevaleça! Faça também a sua doação pelo PIX (chave: pix@jornaldacidadeonline.com.br ou 16.434.831/0001-01).

Contamos com você!

da Redação
Ler comentários e comentar