Diante da confissão de marqueteiro, Dilma diz que não sabia de nada

O marqueteiro João Santana e a mulher Mônica Moura interrogados pelo juiz Sérgio Moro, nesta quinta-feira (21) na ‘República de Curitiba’, confessaram que receberam dinheiro através de caixa dois na campanha eleitoral de 2010 da ‘honrada’ presidente afastada Dilma Rousseff.

A audiência em questão girava em torno do processo em que o engenheiro Zwi Skornick, em sua delação, confirmou o pagamento e disse ainda que a iniciativa foi a pedido do ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto.

Imediatamente após tomar conhecimento do depoimento de Santana, Dilma Rousseff, através do Twitter, afirmou que não sabia de nada, disse que não autorizou pagamento em caixa 2, e que “se houve, não foi com o meu consentimento”.

A declaração de Santana é apenas uma ponta do imenso mar de lama em que o casal se envolveu com o PT.

Em outros depoimento feitos por Mônica Moura, ela afirmou ter arrecadado R$ 10 milhões para a campanha de Dilma, em 2014, pagos em caixa dois.

A mesma situação, segundo Mônica, teria acontecido nas campanha de Dilma (2010), e pela reeleição de Lula (2006), além das campanhas municipais de Fernando Haddad (2012), Marta Suplicy (2008) e Gleisi Hoffmann (2014).

Os pagamentos no caixa 2 de 2014 teriam sido intermediados pelos ex-ministros da Fazenda Guido Mantega e Antonio Palocci, além do próprio tesoureiro do PT, João  Vaccari Neto.

Santana afirmou também ter omitido o caixa 2 ao ser preso pela Polícia Federal para não ‘destruir a presidente’, que enfrentava na ocasião o início do processo de impeachment.

da Redação

da Redação

Comentários