Para advogados de Lula, inclusão de Moro em pesquisas, o torna suspeito para julgar o ex-presidente

Uma verdadeira aberração a peça da defesa, que pede que o juiz Sérgio Moro declare a sua suspeição para conduzir o julgamento dos processos envolvendo o petista no petrolão.


Para os advogados de Lula, a inclusão do juiz Sérgio Moro em algumas pesquisas de opinião, como adversário de Lula numa eventual campanha presidencial, o torna suspeito para continuar atuando nos processos do petista.

O magistrado respondeu a esse e os demais tópicos da enfadonha ‘exceção de suspeição’, e ao final de cada um deles, encerrou com a seguinte frase: ‘falta seriedade à argumentação da Defesa’.

O juiz ainda sustentou que a defesa de Lula confunde ‘sua inconformidade com as decisões judiciais com causas de suspeição’.

Em síntese, os advogados de Lula tentam criar um clima de terror, querem intimidar Moro, no que, para tanto, afirmam textualmente que a condução coercitiva foi ilegal, assim como as buscas e apreensões e as interceptações telefônicas contra o ex-presidente.

Os advogados do petista também reclamam do levantamento do sigilo dos grampos envolvendo Lula e acusam Moro de ter julgado previamente o processo em um documento de explicações enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Um ataque sórdido, desleal e totalmente sem nexo, que reflete o absoluto estado de desespero do ex-presidente, mormente agora com a já anunciada delação premiada de seu marqueteiro João Santana.

Diante da resposta de Moro, é óbvio que os advogados irão novamente bater às portas do STF.

Parece bem claro que o objetivo da defesa é afastar o juiz Sérgio Moro dos processos de Lula, e, nesse sentido, já abandonou de vez a ética, a decência, o equilíbrio e a ‘seriedade’.

Amanda Acosta

redacao@jornaldacidadeonline.com.br

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça