Ordem judicial que Suplicy tentou impedir foi requerida por Haddad

O absurdo dos absurdos, a ânsia de aparecer ou a debilidade total. Com uma dessas explicações podemos esclarecer a atitude do ex-senador Eduardo Suplicy.


A Prefeitura de São Paulo, administrada pelo petista Fernando Haddad é a autora da ação de reintegração de posse do terreno ocupado por cerca de 350 famílias há pelo menos três anos na Cidade Educandário, na região da Rodovia Raposo Tavares.

Foi essa ordem judicial, em favor da municipalidade, que Suplicy tentou impedir o cumprimento, desacatando a ‘PM do Alckmin’. 

‘A truculência da Polícia Militar do governo Alckmin é inaceitável. Se fazem isso com um ex-senador da República, imagine o que sofre a população que tanto precisa de apoio’, esbravejou Suplicy.

Registre-se que além de a responsabilidade da ação ser da gestão petista de Fernando Haddad, até abril deste ano Suplicy era secretário municipal dessa mesma gestão, tendo deixado o cargo única e exclusivamente porque se desincompatibilizou para ser candidato a vereador.

Na realidade, a PM estava apenas dando segurança aos oficiais de justiça e assegurando o cumprimento da ordem judicial, coisa normal numa democracia.

A atitude do ex-senador poderia ter tido consequências trágicas.

Lamentável!

Amanda Acosta

redacao@jornaldacidadeonline.com.br

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Política