Presidente afastado da CBF recebe nova denúncia de assédio

Ler na área do assinante

A situação de Rogério Caboclo está ainda mais complicada.

Mais uma denúncia de assédio sexual chegou a Comissão de Ética da CBF, no decorrer desta semana.

Uma ex-funcionária da entidade, que já havia relatado ter sofrido assédio em um voo a trabalho para Madri, na Espanha, revelou duas novas situações: uma na Copa América sediada no Brasil, em 2019, e outra durante uma viagem a trabalho para a Suíça.

“Ela contou que, em pelo menos duas ocasiões, foi obrigada a reservar quartos de hotel para ‘moças’ que não eram a esposa de Rogério Caboclo. Um desses episódios teria acontecido durante a disputa da Copa América de 2019, em São Paulo. A funcionária teve que ir até a recepção do hotel buscar a visitante, que não estava previamente autorizada a entrar e não tinha o cartão para liberar o funcionamento do elevador.
Naquela mesma noite, segundo o depoimento da funcionária, ela recebeu um recado na secretária eletrônica de seu quarto no hotel. Na mensagem, Caboclo dizia algo incompreensível, seguido da acompanhante interagindo com ele de maneira íntima”.

Ela relatou também que, durante uma viagem para a Suíça, Caboclo a chamava para o quarto de hotel. Nesses encontros, Caboclo desabafava sobre a vida e tentava ficar mais próximo dela.

“Numa dessas reuniões, o dirigente pediu para ela tirar as pulseiras porque ele queria usá-las. A ex-funcionária relata que considerou a atitude uma tentativa de estabelecer uma intimidade que não existia e saiu do quarto às pressas.”

O presidente afastado da CBF nega as acusações.

Fonte: O Antagonista

da Redação
Ler comentários e comentar