Família de Delcídio não suportará um eventual retorno de ex-senador à prisão

O ex-senador Delcídio do Amaral tem muitos defeitos e cometeu muitos erros.


Sustenta que não é ‘ladrão’, mas admite que agiu de maneira desonesta e imoral.

Pagou e está pagando pelo seus erros.

Foi preso. Deu fim a uma promissora carreira política. E para se livrar da prisão teve que delatar parceiros e reconhecer algumas de suas condutas ilícitas. Saiu do cenário político partidário moralmente arrasado.

Entretanto, apesar dos pesares, conseguiu a duras penas, conservar a união familiar. Obteve o apoio de Maika e de suas duas filhas.

Entretanto, cota do Ministério Público Federal, encaminhada ao Poder Judiciário entende que Delcídio não tem cumprido os requisitos que permitiram sua saída da prisão, como, por exemplo, o comparecimento quinzenal em juízo e o recolhimento domiciliar. 
A juíza que acompanha o caso, já enviou o processo para que o ministro Teori Zavascki tome conhecimento dos fatos.

Assim que terminar o recesso do Judiciário, na próxima segunda-feira (1º de agosto), Teori irá analisar a situação e, de acordo com a gravidade que atribuir a conduta do ex-senador, poderá até revogar a decisão que colocou Delcídio em liberdade.

Amigos do ex-senador garantem que um eventual retorno de Delcídio para a prisão, não seria suportado pela sua esposa e filhas.

Seria fatalmente o fim de tudo que ainda resta incólume na vida de Delcídio: a família.

Lívia Martins

liviamartins.jornaldacidade@gmail.com

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Política