Reforçado por tropas das Forças Armadas, RN declara guerra ao Sindicato do Crime

Quem nunca recebeu ou ouviu dizer de uns larápios que ligam contando a história de que o cidadão que atende, seja lá quem for, foi premiado pelo SBT ou pelo Faustão ou por qualquer outro programa de TV?


Um outro golpe, também bastante utilizado, é o do sequestro. O bandido simula que efetuou o sequestro de uma pessoa próxima de quem atendeu a linha, um filho, uma filha, a mãe ou o irmão.

As vezes dá certo. Tem gente que cai.

Muitas dessas ligações tem como origem a Penitenciária Estadual de Parnamirim, na Grande Natal. O negócio é lucrativo.

A Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Norte, finalmente resolveu coibir a prática criminosa.

Para tanto, providenciou a instalação de bloqueadores de sinal de celular nas penitenciárias do estado.

Os bloqueadores, que foram instalados na quinta-feira (28), impedem que os detentos façam ou recebam ligações de dentro do presídio.

A medida provocou a imediata represália da facção criminosa denominada ‘Sindicato do Crime’.

Ônibus e veículos foram incendiados na capital Natal e em cidades do interior. Prédios públicos e privados foram depredados.

Já foram detectados mais de 80 ataques em 27 cidades do estado até esta terça-feira (2).

Além dos ataques, 17 presos fugiram do Centro de Detenção Provisória (CDP) da Ribeira, na Zona Leste de Natal, na madrugada de segunda-feira (1º).

A força da criminalidade é notória e cresceu graças às vistas grossas do poder público. Outro fator preponderante, certamente foi a conivência de algumas autoridades corruptas que se associaram ao mundo do crime.

Paralelamente, o Governo Federal acaba de enviar tropas das Forças Armadas para ajudar no combate a onda de ataques no estado.

O governo do Rio Grande do Norte confirmou o reforço de 1.000 homens do Exército e cerca de 200 fuzileiros.

Não pode haver recuo.

da Redação

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Denúncias