Presidente do STJ, péssimo exemplo e conduta sob suspeita

Presume-se que o presidente do 2º tribunal mais importante do Poder Judiciário brasileiro, seja um cidadão que tenha uma conduta exemplar e cumpra rigorosamente às suas obrigações.


Aliás, é o que a sociedade espera e deve exigir das autoridades constituídas, o bom exemplo, a boa conduta.

O ministro Francisco Falcão, presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), não registrou em cartório a propriedade de um apartamento de alto padrão em Brasília comprado por ele em 2005.

Falcão mora no imóvel, localizado na Asa Sul, área nobre da cidade. O apartamento, no quarto andar, possui 246,87 m² e três vagas de garagem. No mesmo prédio reside o filho do ministro, Djaci Falcão Neto, outro que também não efetuou o registro de seu imóvel.

Qual o motivo de não cumprirem com suas obrigações e não efetuarem o registro dos imóveis? A atitude dá margem a ilações, principalmente por se tratar de uma figura pública que tem contra si, um pedido de abertura de inquérito tramitando no STF.

Em acordo de delação, o ex-senador Delcídio do Amaral acusou Falcão de participar de uma manobra política para soltar empreiteiros presos, entre eles o ex-presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht. 

Falcão também é acusado de ter atuado em processos em que estaria impedido, vez que o filho era o advogado da causa. E agora sabemos que, além de filho, é vizinho.
da Redação

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça