Documento que pedia cassação do registro do PT sumiu do TSE na gestão de Dias Toffoli

O pedido de cassação do registro do PT, ora em tramitação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por determinação do atual presidente, ministro Gilmar Mendes (veja aqui), poderia ter sido instaurado já em setembro de 2015, ocasião em que o ministro João Otavio de Noronha, na época Corregedor-Geral da Justiça Eleitoral, oficiou ao então presidente, ministro Dias Toffoli, requerendo a abertura do processo por fraudes gravíssimas nas Eleições de 2010 e 2014.

Pois bem, fortes indícios indicam que o documento sumiu dentro do próprio TSE, caracterizando uma flagrante fraude processual ocorrida na gestão de Dias Toffoli.

Despacho do atual presidente questiona o misterioso sumiço do documento.

Aliás, foi o ‘misterioso sumiço’ que evitou a instauração do processo naquela ocasião.

Ante a situação, a atual gestão do TSE determinou a restauração dos autos e eventual reconstituição do procedimento por meio de cópias.

Sem dúvida, um absurdo que deve ser apurado com todo o rigor.

Pessoalmente, acredito que tenha sido algum petista da assessoria de Toffoli que, metido a gaiato, sumiu com a papelada.

De qualquer forma o caso é gravíssimo e depõe contra a idoneidade de um ministro do STF, que, se constatado envolvimento, merece impeachment e xilindró.

Amanda Acosta

redacao@jornaldacidadeonline.com.br

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça