Fim da narrativa: Preservação da Amazônia bate recorde e escancara mentira dos ativistas ambientais (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

Nossas florestas são alvo de interesses bilionários travestidos de falsa preocupação.

Ninguém é ingênuo, muito menos em relação às mais de 15 mil ONGs instaladas na Amazônia.

O presidente da França, Emmanuel Macron, chegou a dizer que a Amazônia é um ‘bem comum’ e pediu a mobilização das potências mundiais para impedir o desmatamento.

Diferente dos governos de Lula e FHC, na gestão de Bolsonaro o desmatamento da Amazônia diminuiu!

Os números não mentem: segundo o Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE), o desmatamento na Amazônia Legal despencou 19,4% no mês passado, em comparação a novembro de 2020, e nada menos que 55,7% em relação ao mesmo período de 2019. O que será agora de Macron, Greta... já que a narrativa mentirosa foi destruída?

Além de tentar manipular informações e confundir os menos avisados – certamente, para promover o retorno da esquerda ao poder – os ativistas ambientais fazem questão de ignorar problemas reais.

Ao contrário da velha mídia, o Jornal da Cidade Online mostra a verdade e contamos com você para continuar realizando esse importante trabalho.

Confira:

O Jornal da Cidade Online está sendo vítima da Censura.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou a desmonetização do site.

Um ato cruel... Um "tapa na cara" da democracia.

Neste momento, onde estamos assistindo a liberdade de expressão ser devastada e conservadores sendo calados, precisamos da ajuda de todos os patriotas...

Faça a assinatura do JCO agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo da destemida Revista A Verdade.

Clique no link abaixo:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

Lançamos também uma loja virtual com camisetas, bandeiras e faixas (Todos com FRETE GRÁTIS).

Ajude-nos! Compre no Shopping Conservador:

https://www.shoppingconservador.com.br/

Caso queira, doe qualquer valor ao Jornal da Cidade Online pelo PIX (chave: pix@jornaldacidadeonline.com.br ou 16.434.831/0001-01).

da Redação
Ler comentários e comentar