Seguindo estratégia à risca, defesa de Lula entra com novo recurso contra Moro no STF

A cada ação dos advogados que defendem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a estratégia fica mais clara e delineada.


O objetivo é empurrar todos os processos contra Lula até 2018, quando ele deverá ser candidato a um cargo com o objetivo de conseguir o tão almejado ‘foro privilegiado’.

Coincidência ou não, Lula eleito e com ‘foro privilegiado, será julgado pelo STF, que em 2018 será presidido pelo ministro Dias Toffoli.

Esta semana a defesa do ex-presidente recorreu novamente ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Os advogados, desta feita, querem que seja declarado que o juiz federal Sérgio Moro invadiu competência da Corte para julgar processos envolvendo Lula e investigados com foro privilegiado.

Na nova petição, a defesa alega que Moro atuou ilegalmente nos processos ao afirmar que os áudios em que o ex-presidente conversa com autoridades com foro privilegiado tinham ‘relevância jurídico-penal’, além de autorizar o fim do sigilo das gravações e o compartilhamento em outros inquéritos e ações penais. 

As interceptações da Polícia Federal foram autorizadas pelo juiz.

Em junho, o ministro Teori Zavascki remeteu ao juiz Sérgio Moro as investigações sobre o ex-presidente na Operação Lava Jato e anulou a gravação, feita durante a operação, de uma conversa telefônica entre Lula e a presidenta afastada Dilma Rousseff. 

A defesa também apresentou contrariedade ao parecer no qual o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirma que não houve ilegalidades em outras gravações que fazem parte das investigações.

da Redação

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça