A dolorida confissão da mulher que matou o marido PM com um tiro na cabeça (veja o vídeo)

A ameaça de internação em uma clínica psiquiátrica e a consequente separação do filho de 9 anos, teriam sido os motivos que levaram a cabeleireira Ellen Homiak Federizzi a matar com um tiro na cabeça o marido, o policial militar Rodrigo Federizzi, em Araucária, região metropolitana de Curitiba (PR).


O vídeo com a confissão da mulher foi liberado pela polícia. Visivelmente abalada ela narra com detalhes como tudo aconteceu.

"Dei um tiro, cobri e deixei ele na cama. Sangrou bastante. Saí, não sabia o que fazer", relatou ela.

Rodrigo desapareceu no dia 28 de julho; dois dias depois, no dia 30, a polícia soube do sumiço pela própria Ellen.

Porém, as contradições observadas no depoimento de Ellen, fizeram com que ela se tornasse suspeita.

No dia 9 de agosto, com um mandado de busca e apreensão, a polícia encontrou vestígios de sangue na casa onde a família residia.

Ellen foi presa no dia seguinte, 10 de agosto. O corpo de Rodrigo foi encontrado no dia 14 de agosto, em uma cova em Araucária.

De acordo com a polícia, o caso ainda não está encerrado. Existe a suspeita da participação de uma segunda pessoa na ocultação do cadáver.

A polícia trabalha com duas teses.

A primeira aborda a hipótese de que o casal passava por um momento conflituoso, no qual o PM dizia a todo momento que iria internar a esposa em uma clínica psiquiátrica, especialmente depois que sofreu um sequestro relâmpago. A polícia não sabe se este sequestro realmente ocorreu.

A outra vertente está ligada a uma questão financeira. De acordo com a polícia, o policial militar tinha uma quantia em uma conta bancária e o dinheiro sumiu. “Rodrigo se dirigiu a Ellen, que gerenciava as contas da casa, e, em razão da insistência, ela pode ter matado ele”, cogitou o delegado.

da Redação 

Veja o vídeo:

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Policia