desktop_cabecalho

Decisão do governo é o mais duro golpe nos beneficiários das “tetas gordas” da Lei Rouanet

Ler na área do assinante

Por essa a turma de artistas que sempre usou e abusou das tetas gordas da Lei Rouanet não esperava.

A iniciativa fabulosa e inteligentíssima do Secretário Nacional de Cultura, Mário Frias, e do Secretário de Fomento à Cultura, André Porciuncula, de reduzir drasticamente o valor do cachê da Lei Rouanet é mais um justo e duro golpe na galera de lacradores.

Na semana passada foi anunciado que a Lei Federal de Incentivo à Cultura, passará a ter um teto de R$ 3.000 para pagamentos de artistas individualmente.

A mudança visa acabar com os grandes cachês e exterminar a ‘mamata’.

Rodrigo Lorenzoni, atual secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo da Prefeitura de Porto Alegre, em três tuítes, explicou com extrema precisão a questão:

“A decisão do governo Jair Bolsonaro, através das ações do Mário Frias e do André Porciuncula, de reduzir drasticamente o valor do cachê da Lei Rouanet é mais um justo e duro golpe naqueles que defendem e se beneficiam de um estado com tetas gordas para amamentar elites.
Um governo que se dispõe a servir tem que olhar para os que mais precisam.
Acreditem, a gritaria dessa hipócrita e egoísta elite cultural brasileira é proporcional aos milhões de reais de dinheiro público que vão deixar de receber de mão beijada.
E como diz o Felipe Pedri (Secretário Nacional do Audiovisual) os esforços devem ser para aqueles que estão iniciando e que valorizam a nossa cultura local identificada com as verdadeiras origens do povo brasileiro. Viva a cultura brasileira! Avante, Brasil de verdade!”.

Perfeito!

Confira:

Assine o JCO:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

Lançamos também uma loja virtual com camisetas, bandeiras e faixas (Todos com FRETE GRÁTIS).

Ajude-nos! Compre no Shopping Conservador:

https://www.shoppingconservador.com.br/

Caso queira, doe qualquer valor ao Jornal da Cidade Online pelo PIX (chave: pix@jornaldacidadeonline.com.br ou 16.434.831/0001-01).

da Redação
Ler comentários e comentar