'Petrobras era a moça mais honesta dos cabarés do Brasil’, constata Deltan Dallagnol

Uma declaração que pode ser considerada bombástica e que revela que há muito ainda para ser investigado e que rombos maiores que o da Petrobras deverão fatalmente ser encontrados.

‘Não é possível prever o fim da Lava Jato’, assevera o procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da maior operação contra corrupção que se tem conhecimento na história.

Ele afirma ainda que a operação faz um diagnóstico de uma situação sombria da corrupção no Brasil e que a sociedade brasileira precisa olhar para isso e reagir.


Deltan assegura que não havia corrupção apenas na Petrobras.

E constata: ‘Petrobras era a moça mais honesta dos cabarés do Brasil’.

Segundo o procurador, a operação já encontrou provas de corrupção na Eletrobras, no Ministério do Planejamento e na Caixa Econômica Federal: ‘é uma investigação em plena expansão’.

O procurador considera ainda o Brasil um ‘paraíso de impunidade’ e entende que o ‘sistema precisa ser reformado'.

‘O que nós precisamos agora é nos engajar para incentivar os parlamentares a aprovar as dez medidas contra a corrupção’, encerrou Dallagnol a entrevista concedida à rádio CBN.

da Redação

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça