Filme infantil supera Marighella nos cinemas e impõe nova humilhação a Wagner Moura

Ler na área do assinante

O longa infantil "Turma da Mônica - Lições" acaba de ultrapassar os 508 mil espectadores nas bilheterias do cinema, com arrecadação próxima dos R$ 8,5 milhões, com apenas duas semanas em cartaz.

Números suficientes para bater, olhem só, “Marighella” - a aposta lacradora de 2021 - dirigido pelo diretor e ator esquerdista Wagner Moura, que acumula pouco mais de 323 mil bilhetes vendidos e na casa dos R$ 6 milhões em 12 meses de exibição.

E a diferença, nesta surra do primeiro sobre o segundo, deve ter aumentado neste final de semana, considerando que os dados divulgados pela coluna do jornalista Lauro Jardim (O Globo) foram atualizados até a última quinta-feira (13).

Se o leitor ainda acha pouco, mais esta humilhação pública do 'comedor de camarões do MST', vale destacar que o primeiro filme com os personagens de Maurício de Souza, de 2019, ultrapassou os 2 milhões de ingressos vendidos naquela época, ainda segundo informações do colunista.

Nem Cebolinha e nem Cascão levaram uma 'coelhada' tão forte quanto Moura, que deve 'estar de cabeça inchada".

O fato é que ‘quem lacra não lucra' no Brasil de Bolsonaro!

O Jornal da Cidade Online está sendo vítima da Censura.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou a desmonetização do site.

Um ato cruel... Um "tapa na cara" da democracia.

Neste momento, onde estamos assistindo a liberdade de expressão ser devastada e conservadores sendo calados, precisamos da ajuda de todos os patriotas...

Faça a assinatura do JCO agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo da destemida Revista A Verdade.

Clique no link abaixo:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

Lançamos também uma loja virtual com camisetas, bandeiras e faixas.

Ajude-nos! Compre no Shopping Conservador:

https://www.shoppingconservador.com.br/

Caso queira, doe qualquer valor ao Jornal da Cidade Online pelo PIX (chave: pix@jornaldacidadeonline.com.br ou 16.434.831/0001-01).

Fonte: O Globo

da Redação
Ler comentários e comentar