Diretor do Telegram não dá a mínima para Barroso, que fica possesso

Ler na área do assinante

No dia 16 de dezembro, o ministro Luis Roberto Barroso, na qualidade de Presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), enviou um ofício para Pavel Durov, diretor executivo do aplicativo Telegram.

Borroso solicitava uma reunião.

Não recebeu resposta.

O tal ofício foi encaminhado em dois e-mails.

Na sequência, o TSE tentou enviar o documento físico.

Não obteve êxito.

No suposto endereço da empresa, nos Emirados Árabes, ninguém foi encontrado, após quatro tentativas de entrega do documento.

A conclusão que se chega é que Pavel Durov, do Telegram, não está nem ai para o ministro Barroso, que, por sua vez, está possesso, o que pode resultar no banimento do Telegram do Brasil.

Em nota, o TSE explicou que “nenhum ator relevante no processo eleitoral de 2022 pode operar no Brasil sem representação jurídica adequada, responsável pelo cumprimento da legislação nacional e das decisões judiciais”.

Assine o JCO:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

Lançamos também uma loja virtual com camisetas, bandeiras e faixas (Todos com FRETE GRÁTIS).

Ajude-nos! Compre no Shopping Conservador:

https://www.shoppingconservador.com.br/

Caso queira, doe qualquer valor ao Jornal da Cidade Online pelo PIX (chave: pix@jornaldacidadeonline.com.br ou 16.434.831/0001-01).

Fonte: O Antagonista

da Redação
Ler comentários e comentar