João Henrique de Miranda Sá

Poeta, escritor, escultor, ator, pintor, fotógrafo, idealizador e realizador de elementos arquitetônicos inusitados, objeto e fruto da arte, mais um daqueles que amam e fazem arte, assim como fazem... amor.

Memórias do Menino Que Pedalava

Registro de busca incessante

Breve jornada, a vida é experiência fugaz que tem a duração do brilho de uma fagulha.

Tudo acontece muito rápido, principalmente do ponto de vista de quem já amadureceu exposto às provas e tendo feito escolhas de toda ordem, de quem vive as consequências dessas escolhas dignamente e se apraz com essa dinâmica.

É bom experimentar, se testar e se reinventar o tempo todo.

Trabalhar em ofícios muitos é medida que pode assegurar a descoberta de um talento inato, aptidão ou vocação que justifique plenamente a existência em questão.

O trabalho de um sujeito, é talvez o caráter mais importante, escolha mais reveladora e significativa dentre todas as que fará durante sua caminhada. A natureza do ofício, bem como a forma de agir em serviço, indicam a natureza do caráter do indivíduo. Eles se espelham e são indissociáveis.

Depois de fazer um bocado de coisas, experimentado bastante, comecei, por motivos diversos, a ser tomado pelo que chamo de “impulsos escrevedoiros”.

E passei a escrever tudo o que me ocorria; opiniões e relatos, poemas e fatos, lembranças, crônicas e contos; o mundo que se descortina sob o prisma de minha experiência e visão de mundo.

Sem saber, estava eu adentrando numa seara em que encontraria o maior prazer, a maior satisfação que um cabra pode sentir, que caracteriza o encontro com a ferramenta de trabalho ideal; encontrar nesse mundão de meu Deus, seu habitat nautral e o meio de ser útil que sempre sonhara.

Memórias do Menino Que Pedalava configura a seleção de 72 dentre  mais de 200 trabalhos de minha lavra, publicados entre 2013 e 2015.

Recomendo a todos que apreciam leitura despretensiosa e análise de pensares, olhares e opiniões, que adquiram esse novo trabalho que disponibilizo no site da Amazon.

É possível fazer breve degustação antes de decidir pela compra, no link sob este artigo.

Conheça a essência da alma desse colunista que também expõe aqui seu pensar. Estão todos convidados.

Que a primavera chegue nos corações e mentes de cada um de nós, causando o desabrochar da consciência para o essencial; o exercício incansável do amor incondicional; a renovação da esperança e a manutenção da fé.

Bom dia! 

João Henrique de Miranda Sá é escritor e redator autônomo
67.98126-4663

Clique no link abaixo para degustar trecho do livro:
http://amz.onl/657AYNn  

João Henrique de Miranda Sá

Poeta, escritor, escultor, ator, pintor, fotógrafo, idealizador e realizador de elementos arquitetônicos inusitados, objeto e fruto da arte, mais um daqueles que amam e fazem arte, assim como fazem... amor.

Mais de João Henrique de Miranda Sá

Comentários

Notícias relacionadas

loading...