“Crime” cometido por vereador petista é passível de prisão e representação já foi protocolada no MP

Ler na área do assinante

Uma representação apresentada pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro já está devidamente protocolada no Ministério Público Federal contra o bizarro vereador petista Renato Freitas, de Curitiba (PR).

O parlamentar, conforme exaustivamente noticiado pela imprensa, liderou a invasão de uma igreja católica durante a realização de uma missa, no dia 5 de fevereiro, na Capital paranaense.

Ao lado de dezenas de militantes esquerdopatas, o vereador invadiu o templo e tentou expulsar os fiéis.

De acordo com a representação apresentada por Eduardo Bolsonaro, o crime cometido é caracterizado como ‘Vilipêndio a culto’, estabelecido pelo artigo 208 do Código Penal brasileiro, que preceitua o seguinte:

Art. 208 - Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso:
Pena - detenção, de um mês a um ano, ou multa.
Parágrafo único - Se há emprego de violência, a pena é aumentada de um terço, sem prejuízo da correspondente à violência.

Infelizmente e inexplicavelmente, até o presente momento não se tem notícia de nenhuma manifestação sobre o assunto por parte da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Assine o JCO:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

Lançamos também uma loja virtual com camisetas, bandeiras e faixas (Todos com FRETE GRÁTIS).

Ajude-nos! Compre no Shopping Conservador:

https://www.shoppingconservador.com.br/

Caso queira, doe qualquer valor ao Jornal da Cidade Online pelo PIX (chave: pix@jornaldacidadeonline.com.br ou 16.434.831/0001-01).

da Redação
Ler comentários e comentar