Por fraude em coleta do lixo, decisão judicial torna indisponíveis os bens de Lindbergh

O senador Lindbergh Farias, um dos participantes da lista de Léo Pinheiro, sob o codinome de ‘Lindinho’, teve todos os seus bens decretados como indisponíveis pela Justiça de 1ª. Instância da Comarca de Nova Iguaçu.


O petista foi prefeito da cidade de 2005 até 2010, quando renunciou ao cargo para concorrer ao senado.

O processo que resultou na decisão refere-se à contratação irregular de empresas de coleta de lixo no município em 2009, com o custo total de mais de R$ 40 milhões.

De acordo com a denúncia, o ex-prefeito montou um esquema de fraudes na Prefeitura de Nova Iguaçu para beneficiar, principalmente, a empresa Green Life.

A Green Life foi contratada num suposto caráter emergencial para a execução de serviços de coleta, remoção e transporte de resíduos sólidos em áreas do município.

Na mesma situação emergencial, foram contratadas as empresas Lipa e VPAR.

O caráter de ‘emergência’ dado às contratações teria sido uma ‘fraude’ para justificar a dispensa de licitação.

De acordo com o MP, Lindbergh assumiu o cargo no início de 2005 e, por isso, teve tempo hábil para atualizar-se em relação à situação contratual da área de limpeza do município e realizar licitação, restando incabíveis tais contratações no ano de 2009.

da Redação 

da Redação

Comentários

Mais em Política