A última mentira que Dilma contou no Palácio da Alvorada

Mesmo já afastada do cargo, Dilma não poderia deixar o ‘Alvorada’ sem uma última mentira.


A ex-presidente é compulsiva. Mente sem qualquer necessidade, em questões que poderia adotar uma postura mais decente e mais condizente com os cargos que ocupou.



‘Nego’ o cão labrador herdado pela ex-presidente, foi o motivo da derradeira presepada.

Aos 14 anos, idade considerada avançada, ‘Nego’ ficou pra trás. Dilma justificou dizendo que a saúde frágil do animal impediria uma viagem longa e que, assim sendo, o labrador seria deixado aos cuidados de um ex-assessor.

Mentira! Na realidade, o cão foi sacrificado, mesmo diante de argumentações de funcionários do Alvorada de que 'Nego' tinha condições de sobrevida digna, até sua morte natural.

Dilma preferiu encerrar os laços de afeto com o cão, submetendo-o a cinco injeções letais.

Difícil imaginar como um ser humano consegue mandar sacrificar seu animal de estimação, desnecessariamente, por mera comodidade funcional. É de uma frieza indescritível.

da Redação

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Comentários

Mais em Variedades